Covid-19 | Bacia do São Francisco: atualizações sobre a pandemia

23 de março de 2020

INFOSÃOFRANCISCO
BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO

Acompanhe aqui as informações sobre os efeitos da pandemia do novo coronavirus na Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco com atualizações frequentes da Rede InfoSãoFrancisco

Com casos iniciais positivos para o novo coronavirus no Baixo São Francisco, é necessária extrema atenção por parte da população. A Canoa de Tolda e a plataforma InfoSãoFrancisco estão disponibilizando este espaço com dados e informações sobre o avanço e medidas de enfrentamento à pandemia do novo coronavirus em todo o mundo.

Além deste espaço também está no ar o Coronavirus | Dados e informações atualizados no Brasil e no mundo, com informações atualizadas permanentemente.

A Canoa de Tolda e o InfoSãoFrancisco buscam fontes de informações idôneas e precisas para que as pessoas possam (pela atualização constante) acompanhar e se preparar para estarem prevenidas face à gravidade da situação.

Aconselha-se vivamente que as pessoas sigam as iniciativas oficiais, e tomem, sem pânico, precauções adequadas, para o controle da expansão das contaminações.

20/05/2020

Publicação – 20:05

BAIXO SÃO FRANCISCO

Atualização casos Covid-19 Baixo São Francisco - 20 de maio de 2020

 

InfoSãoFrancisco

Os casos de Covid-19 aumentam nos estados de Sergipe e Alagoas e atingem várias cidades do Baixo São Francisco.

Há que se observar:

1- Permanece insuficiente a adesão da população às recomendações de isolamento social;

2- A pouca ou nenhuma coordenação de ações de órgãos de saúde, vigilância sanitária, de controle de trânsito e tráfego municipais, estaduais e da união na região;

3- As comunidades isoladas, sobretudo as difusas, sem acesso aos serviços básicos públicos, nas zonas rurais ribeirinhas, permanecem com pouco ou nenhum suporte por parte das prefeituras com o objetivo de alertas, esclarecimentos, recomendações.

4- Há ainda intenso movimento de navegação difusa entre as margens de Alagoas e Sergipe, com inúmeras pessoas circulando entre zonas rurais, sedes de municípios (inclusive com ocorrências da Covid-19), sem que haja fiscalização do tráfego fluvial.

Veja abaixo os mapas mais recentes (20.05.2020) da situação nos estados de Alagoas e Sergipe:

Fonte: Governo de Alagoas

 

Os casos no Baixo São Francisco estão marcados em amarelo. Fonte: Gov. de Alagoas

 

Distribuição de casos em Sergipe. Fonte: Governo de Sergipe.

 

Municípios do Baixo São Francisco, em amarelo. Fonte: Governo de Sergipe

 

Municípios no Baixo São Francisco, em amarelo. Fonte: Governo de Sergipe.

 

Coeficiente do isolamento social nos municípios e estado de Sergipe. Fonte: Gov. de Sergipe

Veja as atualizações diárias diretamente nos sites dos Governo de Alagoas e Governo de Sergipe.

Fontes

Governo de Alagoas

Governo de Sergipe

12/05/2020

Publicação – 20:05

BAIXO SÃO FRANCISCO

Atualização casos Covid-19 em Alagoas e Sergipe

 

InfoSãoFrancisco

Os casos de Covid-19 aumentam nos estados de Sergipe e Alagoas e atingem várias cidades do Baixo São Francisco.

Há que se observar:

1- Permanece insuficiente a adesão da população às recomendações de isolamento social;

2- A pouca ou nenhuma coordenação de ações de órgãos de saúde, vigilância sanitária, de controle de trânsito e tráfego municipais, estaduais e da união na região;

3- As comunidades isoladas, sobretudo as difusas, sem acesso aos serviços básicos públicos, nas zonas rurais ribeirinhas, permanecem com pouco ou nenhum suporte por parte das prefeituras com o objetivo de alertas, esclarecimentos, recomendações.

4- Há ainda intenso movimento de navegação difusa entre as margens de Alagoas e Sergipe, com inúmeras pessoas circulando entre zonas rurais, sedes de municípios (inclusive com ocorrências da Covid-19), sem que haja fiscalização do tráfego fluvial.

Veja abaixo os mapas mais recentes (11.05.2020) da situação nos estados de Alagoas e Sergipe:

Quadro em Alagoas (11.05.2020). Governo de Alagoas

 

 

Quadro em Sergipe (11.05.2020). Governo de Sergipe

Veja as atualizações diárias diretamente nos sites dos Governo de Alagoas e Governo de Sergipe.

Fontes

Governo de Alagoas

Governo de Sergipe

20/04/2020

Publicação – 09:15

BACIA DO SÃO FRANCISCO

Boletim 04 - C4 - Comitê Científico de Combate ao Coronavírus NE

 

InfoSãoFrancisco

Boletim 04 – Comitê Científico do Consórcio Nordeste

Edição de 16 de abril de 2020

Brigada Emergencial de Saúde pode levar médicos à frente de batalha contra coronavírus

O Comitê Científico do Nordeste para o enfrentamento da COVID-19 se reuniu nesta quinta-feira, dia 16, para analisar dados dos órgãos de saúde dos Estados e projeções matemáticas que permitam maior sustentação para a tomada de decisões por parte dos governadores. As ações aprovadas foram:

1 – Brigada emergencial de saúde

É preciso criar com urgência uma Brigada Emergencial de Saúde no Nordeste ampliando o contingente de médicos e demais profissionais de saúde no atendimento à população.

Esta iniciativa deve servir para levar médicos aos municípios atingidos pela pandemia e a todos os serviços de saúde mobilizados para este enfrentamento.

O Brasil ainda tem apenas 2,2 médicos por mil habitantes, sendo que, na região Nordeste, esse número era, em 2018, de 1,55 médicos por mil habitantes. É preciso reconhecer que no interior dos Estados a vulnerabilidade social e a escassez de atendimento médico são ainda maiores.

Experiências nacionais e internacionais12 recomendadas pela OMS devem ser seguidas, sobretudo se considerarmos que há vasta literatura científica da área que atesta os efeitos positivos na ampliação do acesso com equidade aos serviços de saúde.

Vale destacar que há grande contingente de médicos brasileiros formados no exterior que, neste momento, não podem atuar porque não tiveram a oportunidade de ter seus diplomas revalidados.

Com o fim da realização regular do Revalida, estima-se que 15 mil médicos brasileiros formados no exterior estão à espera de uma oportunidade de validar o diploma e atuar no país.

Considerando a necessidade imediata de provimento de profissionais em decorrência da pandemia, o Comitê recomenda aos governadores a criação de programa de adaptação formativa, com complementação curricular, na modalidade ensino-serviço, que assegure um processo rígido de avaliação ao longo do tempo a ser realizado pelas Universidades Públicas na região, e permita, ao final, a validação dos diplomas daqueles que vierem a ser aprovados.

Tal programa poderá ser parte da Brigada emergencial de saúde, tornando possível que os profissionais nele inscritos possam atuar sob supervisão, somando-se, assim, à luta contra o Coronavírus.

Nesse sentido, a recomendação de criação de programa de complementação curricular e de avaliação na modalidade ensino-serviço, atendem às normas legais (§2º, do art. 48, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB, Lei nº 9.394/96 e na Resolução do Conselho Nacional de Educação nº 3, de 22 de junho de 2016) e, mais do que isso, viabilizam o regular funcionamento dos serviços de saúde em tempos de guerra, preservando, com isso, grande número de vidas humanas.

2 – Restrição de tráfego nas rodovias do Nordeste

Considerando todas as projeções de ampliação do número de infectados e da já conhecida velocidade de contágio desse vírus, o que desafia a capacidade de qualquer sistema de saúde do mundo em atender de maneira adequada sua população, recomendamos que as medidas de restrição de mobilidade sejam ainda mais rígidas, devendo-se proibir, em todos os Estados do Nordeste, o tráfego intermunicipal e interestadual, garantindo, porém, a segurança dos profissionais de serviços essenciais, com destaque para o transporte de alimentos e materiais de saúde.

3 – Proteção às equipes de saúde

Seja pelo adoecimento de profissionais de saúde, seja pelos novos serviços criados e ainda em processo de expansão, a pandemia exige que os Estados invistam no fornecimento de EPI’s a todos os profissionais de saúde que estejam na frente de batalha desta guerra e, sobretudo, canalizar o contingente dos chamados testes PCR a eles.

4 – Monitora Covid-19

É preciso garantir, em todos os Estados da região, a implantação imediata do aplicativo Monitora Covid-19, disponibilizado pelo Consórcio Nordeste, e a realização de ampla campanha de comunicação para o envolvimento da população.

Este aplicativo nos dará melhores condições para atendimento remoto, ampliação das possibilidades de diagnóstico precoce, isolamento dos casos confirmados e monitoramento da cartografia do contágio.

Assim, também é necessário buscar soluções tecnológicas para que, por meio do aplicativo, se produza mapas de calor e se conheça, em tempo real, dados do fluxo rodoviário e urbano. Deve-se buscar, com isso, identificar como vírus está se espalhando e quais cidades e bairros tornaram-se hubs de disseminação.

Comitê científico do Nordeste
Coordenação Miguel Nicolelis e Sérgio Rezende.

Membros: Adélia Carvalho de Melo Pinheiro (BA); Antônio Silva Lima Neto (CE); José Noronha (PI); Ricardo Valentim (RN); Luiz Cláudio Arraes de Alencar (PE); Sinval Brandão Filho (PE); Marco Aurélio Góes (SE) Marcos Pacheco (MA); Maurício Lima Barreto (BA); Priscilla Karen de Oliveira Sá (PB); Roberto Badaró (BA); e Fábio Guedes Gomes (AL).

Informações: (11) 98442-2112
flavia.gianini@consorcionordeste.com

Fonte

C4 – Comitê Científico de Combate ao Coronavirus

10/04/2020

Publicação – 17:25

BACIA DO SÃO FRANCISCO

Vídeo - Doenças Zoonóticas: como o comércio de animais silvestres e a desintegração de ecossistemas aumentaram o alcance das epidemias

 

InfoSãoFrancisco

No dia 02 passado, a Internews, organização global que reúne mais de 12,000 jornalistas voltados para a questão socioambienal, promoveu o webnário Doenças Zoonóticas: como o comércio de animais silvestres e a desintegração de ecossistemas aumetaram o alcance das epidemias.

O tema foi discorrido pelo especialista Maarten Hoek, um dos diretores da Madaktari Africa, uma organização não governamental, sem fins lucrativos voltada para a educação e treinamento de saúde coletiva de trabalhadores na Africa sub-sahariana. Doutor em veterinária, epidemiologista, analista de riscos e médico ativo em saúde coletiva, Maarten tem trabalhado em projetos de melhoria da saúde na Africa há oito anos e atualmente está desenvolvendo pesquisa em coronavirus.

Fonte

Internews – Earthjournalism

O vídeo está em sua versão original em inglês. Para assistir com legendas em português, basta ativar (no ícone configuração, a roda dentada à direita, abaixo da tela do vídeo) tradução instantânea.

08/04/2020

Publicação – 15:15

BAIXO SÃO FRANCISCO

Máscara de proteção facial: faça a sua

 

InfoSãoFrancisco

Ante a escassez mundial das máscaras faciais, embora profissionais e farmacêuticas sejam as mais adequadas, o EL PAÍS apresenta um passo de como fabricar uma máscara caseira. Ela ajuda a limitar a propagação de gotículas respiratórias que podem conter o vírus, segundo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). Mas não se esqueça de que a melhor forma de prevenir o contágio ainda é o isolamento social, lavar as mãos com água e sabão com frequência, cobrir a boca com o cotovelo ao tossir e espirrar, e evitar tocar os olhos, o nariz e a boca com as mãos.

1. Como fabricar uma máscara com dois pedaços de tecido de algodão?

Com dois pedaços de tecido de algodão, duas tiras elásticas e conhecimentos básicos de costura, é possível fabricar uma máscara.procedimentos incompatíveis com as determinações muito claras da OMS – Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde.

Gráfico via El País Brasil

A correta higiene das mãos, lavadas com água e sabão ou com um desinfetante a base de álcool, é condição imprescindível tanto para colocar como para retirar a máscara. Nunca toque os olhos, o nariz e a boca. Para desinfetá-la, é possível lavá-la numa máquina de lavar e sabão. Já o Ministério da Saúde brasileiro recomenda deixar a máscara de tecido imersa de molho por cerca de 20 minutos numa solução com água e sabão ou água sanitária. “E nunca compartilhar, porque o uso é individual”, explica o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

5. Que pessoas não devem usar a máscara?

Seu uso não é recomendável para crianças menores de dois anos, para pessoas com dificuldades para respirar e as que não podem retirar a máscara sem ajuda.

 

Fonte

Edição Brasil de El País

08/04/2020

Publicação – 14:53

BAIXO SÃO FRANCISCO

Em Pão de Açúcar, AL, situações que não contribuem para o controle da contaminação e expansão da Covid-19

 

InfoSãoFrancisco

Durante a realização da última feira livre em Pão de Açúcar, segunda-feira (06) foram verificadas situações, comportamentos e procedimentos incompatíveis com as determinações muito claras da OMS – Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde.

Porto de cima: sem local próprio para receber o lixo vindo das comunidades ribeirinhas e sem coleta de resíduos. Foto: Carlos E. Ribeiro | Canoa de Tolda/InfoSãoFrancisco

Coleta de lixo – No porto “de cima”, que atende principalmente aos povoados a montante da cidade, o lixo espalhado demonstra que não está havendo o recolhimento do mesmo. Segundo um local, ocupante de uma das barracas/bar ali instaladas, “a prefeitura não está recolhendo o lixo, não”. Trata-se de um problema grave, pois é o ponto onde as pessoas das comunidades ribeirinhas podem, ao se deslocarem para a cidade, deixarem seus resíduos sólidos.
Foi também observado o acúmulo de lixo em inúmeros outros pontos.

Feira livre: movimentação sem controle, pessoas sem máscaras, falta de agentes públicos esclarecendo e orientando sobre a gravidade da situação. Foto: Carlos E. Ribeiro | Canoa de Tolda/InfoSãoFrancisco

Aglomerações – A movimentação de pessoas na rua, ainda que menor do que na fase anterior à quarentena, ainda é muito intensa. São pouquíssimas aquelas portadoras de máscaras. Diversas aglomerações em bancos, pontos de correspondência bancária e pagamentos também feriam os procedimentos adequados.

Feira: lixo espalhado, ordenamento das barracas falho, ausência de faixas, cartazes e agentes públicos com orientação. Foto: Carlos E. Ribeiro Jr. | Canoa de Tolda/InfoSãoFrancisco

Poder público rarefeito e ausência de comunicação – A Secretaria de Saúde, fechada, assim como a Prefeitura, ambas na rua principal no centro, não dispunham de qualquer cartaz com recomendações, alertas, instruções a respeito de mobilidade, higiene, porte de máscaras, gravidade da situação. Não foi observada uma única faixa, material de comunicação de baixo custo, com tais informações entre o trecho a partir do porto de cima e a região do posto de gasolina.

Apenas um grupo de policiais da Polícia Militar de Alagoas se encontrava na área da feira. 

Feiras livres no Baixo São Francisco são um problema crônico de saúde coletiva, sem interesse de solução definitiva por parte da sociedade. Foto: Carlos E. Ribeiro Jr. | Canoa de Tolda/InfoSãoFrancisco

Ordenação/higiene da feira – Na área da feira, muita aglomeração não observância ao afastamento entre barracas preconizado pelas instruções. Também, lixo espalhado pelo chão (o que é um problema crônico anterior a situação da pandemia e em todas as feiras do Baixo São Francisco) além de águas suspeitas correndo em valetas: incompatível com qualquer quadro desejável de limpeza urbana e ainda menos na situação atual.

08/04/2020

Publicação – 11:53

BAIXO SÃO FRANCISCO

Em todo o Baixo São Francisco, crescem reclamações sobre aumento de preços em feiras livres e mercados sem intervenção de autoridades

 

InfoSãoFrancisco

Desde o início da pandemia da Covid-19 estão sendo comunicadas frequentes e recorrentes reclamações de aumento de preços de produtos alimentícios, água engarrafada e outros itens em feiras livres e supermercados.

Não são conhecidas, até o momento, ações inibidoras da prática que é incompatível com o momento.

Há que se observar que o comércio de alimentos (em feiras livres – ainda que com restrições nessas – e mercados e mercadinhos), produtos de higiene, limpeza e água engarrafada (os preços deste produto estouraram em Brejo Grande, SE) não foi atingido pelas determinações de fechamento. Portanto, será o segmento menos impactado ao longo do período em que durar a quarentena.

Ainda que insuficientes as estruturas nos interiores, o PROCON deve ser alertado, assim como as promotorias nos municípios.

Acesse aqui

Procon – Sergipe

Procon – Alagoas

03/04/2020

Publicação – 20:01

BAIXO SÃO FRANCISCO

Brejo Grande, SE: em meio à pandemia da Covid-19, população em situação de vulnerabilidade pelo precário fornecimento de água potável

J. Coelho

Desde o final de semana que a população de Brejo Grande, em meio à pandemia da Covid-19 vem sendo vítima de problemas de qualidade de água fornecida pelo DESO – Companhia de Saneamento de Sergipe. A água disponibilizada nas torneiras apresenta extrema turbidez, tornando-se fora do padrão apropriado para o consumo humano. Sem ter tido sucesso nas ações de recuperação da qualidade da água, a empresa de abastecimento suspendeu o fornecimento.

A água fornecida pelo DESO - que suspendeu o serviço - turva, se encontrava fora dos padrões para consumo humano. Foto: JCoelho | Rede InfoSãoFrancisco

A água fornecida pelo DESO – que suspendeu o serviço – turva, fora do padrão adequado ao consumo humano. Foto: JCoelho | Rede InfoSãoFrancisco

A questão da turbidez, com sedimentos suspensos na água não é novidade no São Francisco. É uma situação típica de rios de bacias sedimentares, em temporadas úmidas, e os sistemas de abastecimento do Baixo São Francisco, cientes das características do Velho Chico, devem estar preparados. No entanto, no caso de Brejo Grande a situação não foi, até esta publicação, normalizada, prosseguindo a falta de água nas torneiras.

Um caminhão de água potável alocado pelo DESO, em local fixo, provocando aglomerações, contra os procedimentos sanitários. Foto: JCoelho | Rede InfoSãoFrancisco

A solução encontrada pelo DESO foi encaminhar apenas um caminhão pipa ao município que, ao invés de circular pelas zonas mais necessitadas, ficou estacionado na base da empresa, provocando aglomeração de pessoas, o que vai de encontro às recomendações da OMS – Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde e mesmo da própria empresa, como mostra a imagem no sítio eletrônico obtida hoje (03 de abril).

Fonte: DESO

Há um quadro de tensão entre as pessoas, sobretudo as mais pobres, sem recursos para a aquisição de água potável que, por ser um direito humano ( Resolução ONU – Resolução n° 64/292 de 2010), em casos similares, deveria ser fornecida, sem ônus para as famílias pelo poder público.

Sem água em casa, muitas pessoas estão buscando sanar o problema captando diretamente no rio (nos portos da cidade, que são zonas onde a água tem qualidade inadequada) com baldes, vasos e garrafões.

“Eu bebia água do brejo e não morri”, dizem alguns ou ainda, “a água do Deso estava parda na torneira, e pardo por pardo, aqui eu não pago”. E, também, “com que dinheiro eu vou comprar água mineral, o jeito é pegar no rio…”

Na foz do rio, problemas de qualidade da água não são recentes

É necessário lembrar que com a redução das vazões do São Francisco desde o início de 2013, as cidades da foz, em particular Piaçabuçu, em Alagoas e Brejo Grande, Sergipe, estão com gravíssimos problemas de salinização da água provocada pelo avanço do mar, afetando a saúde coletiva, sem que até o momento as populações atingidas tenham tido qualquer dispositivo para a garantia de água potável em suas casas.

O ônus de poder contar com água de qualidade em seus lares foi inteiramente destinado à população. Quem tem recursos, compra cara água engarrafada. Quem não tem, se encontra em situação de risco.

 E, mais recentemente, houve o caso da cheia do rio Ipanema. Com as intensas chuvas em Pernambuco há vários dias, ocorreu uma situação de enchente do rio Ipanema – o maior afluente da margem esquerda no Baixo São Francisco, com sua nascente em Pernambuco -, na semana passada (28), provocando o lançamento de suas águas no São Francisco. O aporte de águas do Ipanema causou um incremento na vazão no trecho a jusante da localidade da Barra do Ipanema (município de Belo Monte, em Alagoas, onde fica a foz do rio).

31/03/2020

Publicação – 20:06

BAIXO SÃO FRANCISCO

Pão de Açúcar, AL: Prefeitura publica decreto com medidas voltadas para o enfrentamento da pandemia da Covid-19

 

InfoSãoFrancisco

A Prefeitura Municipal de Pão de Açúcar publicou, no dia 26 de março o decreto no. 006/2020 com medidas destinadas ao enfrentamento da contaminação do novo coronavirus.

Não estando disponível, até a data de hoje, no site oficial da prefeitura, o documento foi obtido através de solicitação via E-Sic, instrumento da CGU – Controladoria Geral da União, que permite, a qualquer cidadão o acesso à informações e documentos públicos de órgão federais, estaduais e municipais.

 

Fonte
Prefeitura Municipal de Pão de Açúcar

31/03/2020

Publicação – 17:53

BAIXO SÃO FRANCISCO

Governo de Alagoas comunica primeira morte por Covid-19 no estado

 

InfoSãoFrancisco

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informa que, nesta terça-feira (31), foi registrado o primeiro óbito confirmado pela Covid-19 em Alagoas, conforme exame realizado pelo Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL). 

A Sesau esclarece que a vítima, do sexo masculino, tinha 63 anos, e estava internada com respiração artificial. A Sesau ressalta ainda que a vítima é natural do Acre e residia na capital alagoana há seis meses, não havendo histórico de viagem para fora do Estado. Segundo o prontuário médico, ele era diabético e seus familiares estão em isolamento domiciliar, sendo monitorados pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS).

Fonte
Governo de Alagoas

 

 

 

29/03/2020

Publicação – 17:42

BAIXO SÃO FRANCISCO

Governo de Alagoas prorroga decreto de emergência para conter o coronavirus

 

InfoSãoFrancisco

Governo de Alagoas, através de publicação no Diário Oficial do estado de ontem (28, sábado), prorrogou o decreto de emergência em vigor para manter as ações de prevenção à expansão das contaminações pelo novo coronavirus no estado.

O decreto de prorrogação, publicado em um suplemento do Diário Oficial do Estado, contém algumas mudanças: suspende o funcionamento de shoppings, bares, academias e outros estabelecimentos por um prazo de oito dias a partir da 0h de segunda-feira (30).

Também as indústrias foram liberadas para funcionar e restaurantes e lanchonetes foram autorizados a funcionar no modelo “Pegue e Leve” e com serviços de entrega e aplicativos para tal.

As aulas na rede estadual permanecem suspensas até 7 de abril.

O que pode e o que não pode funcionar

Fechados por 8 dias
* bares, restaurantes e lanchonetes (poderão funcionar apenas por meio de serviço de entrega e na modalidade “Pegue e Pague”)
* estabelecimentos de comércio que prestem serviço com a presença de clientes
* templos, igrejas e demais instituições religiosas
* museus, cinemas, eventos culturais, feiras, exposições e outros equipamentos culturais
* academias, centros de treinamento
* shoppings, galerias e demais estabelecimentos
* barracas de praia na orla, rios, piscinas, clubes e receptivos e outros locais com aglomeração

Podem funcionar normalmente
* indústrias
* supermercados, farmácias e locais que prestam serviços de saúde
* órgãos de imprensa e meios de comunicação e telecomunicação
* estabelecimentos odontológicos, hospitalares, laboratório de análises, clínicas de fisioterapia, psicológicas e de reabilitação
* distribuidoras de energia e serviços de telecomunicações
* postos de combustíveis
* funerárias
* agências bancárias
* casas lotéricas
* padarias
* clínicas veterinárias
* lojas de produtos para animais
* lavanderias
* oficinas mecânicas

Veja abaixo o decreto na íntegra:

Fonte
Governo de Alagoas

28/03/2020

Publicação – 15:30

BAIXO SÃO FRANCISCO

Atualização de do quadro da Covid-19 aponta novos casos suspeitos no Baixo São Francisco

 

InfoSãoFrancisco

Governo de Alagoas, através do CIEVS – Centro de Informações Estratégicas e Vigilância Sanitária, divulgou hoje ontem (27)nova lista de casos da Covid-19 no estado de Alagoas, onde são verificados novos casos suspeitos no Baixo São Francisco. Veja abaixo nova listagem fornecida pelo CIEVS:

Fonte
CIEVS/AL

 

25/03/2020

Publicação – 21:35

BAIXO SÃO FRANCISCO

Porto Real do Colégio, AL: novo caso de Covid-19 no Baixo São Francisco

 

InfoSãoFrancisco

Governo de Alagoas, através do CIEVS – Centro de Informações Estratégicas e Vigilância Sanitária, divulgou hoje nova lista de casos da Covid-19 no estado de Alagoas, onde está registrada uma ocorrência positiva em Porto Real do Colégio, cidade no agreste do Baixo São Francisco.

Veja abaixo a nova listagem fornecida pelo CIEVS:

Fonte
CIEVS/AL

25/03/2020

Publicação – 20:05

BAIXO SÃO FRANCISCO

Porto de travessia, Niterói, SE, se encontra em situação de vulnerabilidade, sem medidas de controle e proteção contra a pandemia do novo coronavirus

Jackson Braz

No povoado Niterói, grande número de pessoas transita diariamente entre os estados de Sergipe e Alagoas. Foto: Jackson Braz | InfoSãoFrancisco

Povoado de Porto da Folha, alto sertão de Sergipe, Niterói se situa em frente
à cidade de Pão de Açúcar, na margem alagoana do Velho Chico.

Ainda que com pouco movimento, as balsas que realizam a travessia entre
os dois portos seguem operando, seguindo as instruções da ANTAQ –
Agência Nacional de Transporte Aquaviário que, por sua vez, através de
comunicado (ver publicação de 23/03/2020), divulga estar dentro das orientações do
Ministério da Saúde.

Embarcações exclusivas de passageiros estão praticamente paralisadas pela
falta absoluta de pessoas que demandam a travessia.

No entanto, no povoado não foi verificada a presença de barreira sanitária
para realizar procedimentos de pessoas vindas de Alagoas (lembrando que
Niterói é um porto de passagem e transferência de pessoas que seguem,
sobretudo, para Aracaju).

Os ônibus que atendem a linha para Aracaju, com a perda de passageiros,
estão circulando em dias alternados.

Com relação à medidas dos poderes públicos municipal e estadual (reiterando a condição de Niterói como porto de travessia interestadual) não são conhecidas ações como rondas policiais e de agentes de saúde de esclarecimento, manutenção do “fique em casa”, cartazes e carros de som com comunicados explicativos.

Em acesso na data de hoje ao portal da Prefeitura Municipal de Porto da Folha, não foi observada qualquer informação ou notícia alusiva a esclarecimentos, medidas, procedimentos ou ações relacionadas ao enfrentamento da pandemia causada pelo novo coronavirus.

24/03/2020

Publicação – 20:09

BAIXO SÃO FRANCISCO

Penedo, AL: Prefeitura vai adotar barreiras sanitárias nas três principais entradas da cidade

 

InfoSãoFrancisco

Seguindo os protocolos de combate ao Coronavírus (COVID-19), o prefeito Marcius Beltrão (PDT) fez entrevista coletiva por live no aplicativo Instagram.

As ações que endurecem o combate à doença entrarão em vigor na próxima quinta-feira (26).

Entre as novas medidas, o Gabinete de Crise decidiu que neste momento é essencial colocar barreiras sanitárias nas três principais entradas da cidade, Porto das Balsas, AL-101 Sul e AL-110.

“Estabelecer medidas sanitárias como barreiras neste momento vai contribuir em frear o avanço. Quem entra em Penedo deverá ser monitorado seguindo um questionário e caso apresente alguma alteração deverá obrigatoriamente ficar em isolamento”, explicou o secretário de Saúde e presidente do Gabinete de Crise, Marcos Beltrão.

Transporte público municipal

A partir de quinta-feira próxima (26), ficam suspensas a circulação dos ônibus municipais e dos mototaxistas. Para esses últimos profissionais, a prefeitura fará um cadastro para que sejam absorvidos pela modalidade delivery. Eles poderão trabalhar apenas com o entrega de mercadorias das empresas que estão autorizadas a abrir durante a pandemia.

Feira livre X desabastecimento

Para evitar o desabastecimento, a Secretaria de Agriculta adotará
novas medidas para evitar aglomerações nas feiras.

A feira de sábado e domingo será dividida: Alguns feirantes irão trabalhar em bairros, podendo ser até dez feirantes por localidade.

A feira da Agricultura Familiar continua, agora com nova logística, devendo atender orientações técnicas da vigilância sanitária e distanciamento de até dois metros entre uma banca e outra. Também fica suspensa a comercialização de feirantes de outras cidades em Penedo. Os feirantes que trabalham todos os dias no comércio também terão que atender ao novo plano de trabalho.

Férias coletivas

O Gabinete de Crise também resolveu conceder férias coletivas aos servidores de todas as secretarias. Haverá atividades nos setores essenciais e haverá servidores que deverão continuarão ativos na modalidade home office.

Pessoas vindas de zonas endêmicas

A orientação do Município é que fiquem onde estão. Se forem entrar em Penedo irão passar pela barreira sanitária e se mostrarem alguma alteração, ficarão em quarentena em local determinado pela Prefeitura de Penedo, sem receber visitas de amigos e familiares, de acordo com o protocolo de quarentena do
Ministério da Saúde que são de 14 dias.

Todas as medidas adotadas pelo poder público vão durar até o período de enfrentamento ao Coronavírus (COVID-19). Em caso de descumprimento de qualquer das ações, a pessoa fica sujeita a sansões judiciais.

 

Fonte
Prefeitura Municipal de Penedo

23/03/2020

Publicação – 20:59

BAIXO SÃO FRANCISCO

Penedo, AL: novo boletim da prefeitura municipal sobre a situação da Covid-19 no município

 

InfoSãoFrancisco
Veja abaixo o vídeo da Prefeitura Municipal do Penedo:
 
 
 
 

23/03/2020

Publicação – 19:33

BACIA DO SÃO FRANCISCO

ANTAQ - Agência Nacional de Transportes Aquaviários divulga nota que está relacionada às travessias de passageiros e balsas no Baixo

 

InfoSãoFrancisco
Veja abaixo a nota da ANTAQ:
 
 
Fonte
 
ANTAQ – Agência Nacional dos Transportes Aquaviários
 
 

23/03/2020

Publicação – 17:40

BAIXO SÃO FRANCISCO

Coronavirus chega ao Baixo São Francisco, com casos em Propriá e Glória, em Sergipe

 

InfoSãoFrancisco
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) de Sergipe informou no fim da tarde do sábado passado (21) que o número de casos confirmados no estado subiu para dez, superando os sete confirmados até a sexta-feira (20).
 
De acordo com a SES, as três últimas pessoas diagnosticadas estão clinicamente bem e se encontram em isolamento domiciliar.
 
Os novos diagnosticados são:
 
Uma mulher de 71 anos, em Nossa Senhora da Glória.
 
Uma mulher de 55 anos, de Aracaju, que chegou na quinta-feira (19) de Portugal com sintomas de gripe.
 
Um homem de 50 anos, também de Aracaju, que chegou no dia 15 de março vindo a apresentar sintomas no dia 18. Ele veio de Fernando de Noronha, fazendo conexão no Aeroporto de Recife (PE).
 
Os outros casos são: uma mulher de 36 anos de Propriá, que teve contato com caso confirmado; uma mulher de 44 anos, também em Propriá; uma mulher de 36 anos vinda daEspanha, sendo 0 primeiro caso registrado do estado; um homem, de 60 anos; uma mulher, de 31 anos, vinda dos Estados Unidos e um homem, de 34 anos, que teve contato com paciente de São Paulo.
 
Todos os casos anteriores estão em isolamento domiciliar, com a exceção de um homem de 41 anos, que retornou da Espanha, e está internado em uma unidade de saúde particular de Aracaju. O estado de saúde ele não foi informado pela SES.
 

22/03/2020

Publicação – 19:30

BAIXO SÃO FRANCISCO

Penedo, AL, registra dez casos suspeitos

 

InfoSãoFrancisco

Policiais nas ruas de Penedo orientam pessoas que insistem em atitudes de alto risco para a coletividade. Foto: Divulgação

 
No município alagoano de Penedo, foram registrados dez casos suspeitos hoje, domingo, dia 22 de março, segundo a Secretaria Municipal de Saúde
 
A prefeitura municipal de Penedo, através do Decreto 669/220, adotou medidas de enfrentamento à pandemia do novo coronavirus.
 
Foi necessária a ação policial em vários pontos da cidade para impor o fechamento de comércios em desatendimento às determinações preventivas, além de orientar pessoas que ainda permaneciam nas ruas.
 
Até a publicação desta notícia o serviço de travessias de lanchas de passageiros e balsas entre Penedo e a cidade sergipana de Neópolis ainda estava ativo.
 
 
Veja ainda
 

22/03/2020

Publicação – 17:21

BAIXO SÃO FRANCISCO

Em Brejo Grande,SE, prefeitura adota medidas de restrição de movimentação

J. Coelho

Apesar da proibição, muitas pessoas não respeitam as regras de quarentena, colocando não só as suas vidas mas também as da coletividade em risco. Foto: J. Coelho | Rede InfoSãoFrancisco

 
A prefeitura municipal de Brejo Grande, SE, através do Decreto 16/2020, publicado na Edição 410/2020 do Diário Oficial do Município, adotou medidas de enfrentamento à pandemia do novo coronavirus.
 
Dentre elas está a criação de um Comitê de Operação de Emergência formado pelo Prefeito Municipal e pelos secretários (as) municipais das pastas da Saúde; Assistência Social; Administração; Finanças; Educação e Procuradoria Geral do Município.
 

As ruas desertas de Brejo Grande indicam que a maior parte da população está colaborando com as ações de enfrentamento da pandemia. Foto: J. Coelho | Rede InfoSãoFrancisco

 
Mesmo com policiamento nas ruas, para o controle do fechamento de estabelecimentos comerciais, e alerta para que a população fique em casa e saia apenas em caso imperativo, várias pessoas, como no dia de hoje, insistiam na permanência em locais de lazer, como no porto da fábrica de gelo.
 

O porto da marinha, de onde saem as embarcações para Piaçabuçu, AL, deserto, mostra o reflexo da falta de passageiros. Foto: J. Coelho | Rede InfoSãoFrancisco.

 
A travessia para Piaçabuçu, AL está suspensa por total falta de passageiros, ainda que sem as devidas restrições ou proibições determinadas seja pela prefeitura de Brejo Grande ou pela da cidade alagoana.

×

Encontre a localização

Encontrar

Resultados:

Latitude:
Longitude:

Zoom:

Finalizar geocodificação

×

Envie um artigo

Você tem notícias para compartilhar da bacia do Rio são Francisco? Contribua para este mapa enviando sua história. Ajude a ampliar a compreensão do impacto global dessa importante região no mundo.

Encontre localização no mapa

Encontre localização no mapa