UFAL divulga relatório da segunda expedição no Baixo São Francisco

15 de julho de 2020

BAIXO SÃO FRANCISCO | SAÚDE COLETIVA | BIODIVERSIDADE
REDAÇÃO 

Relatório da Universidade Federal de Alagoas apresenta resultados desfavoráveis sobre a qualidade da água e situação da ictiofauna no Baixo São Francisco: peixes contaminados com metais pesados e cianobactérias nas águas, dentre inúmeros pontos que comprometem a saúde coletiva e a biodiversidade

Como conclusão da campanha realizada no segundo semestre de 2019, a UFAL – Universidade Federal de Alagoas divulgou ontem (14) o relatório final da atividade com os resultados obtidos.

Peixes contaminados com metais pesados, cianobactérias nas águas, coliformes em níveis acima do permitido, são dados que mostram a crônica calamidade socioambiental no Baixo São Francisco que, com o controle absoluto do setor elétrico na gestão das águas, ausência de gestão (e reparação urgente) nos usos e ocupações do território da bacia, não vê perspectivas de mudanças nas operações de barramentos a curto prazo.

 

Veja abaixo a versão integral do Relatório da Segunda Expedição Científica Baixo São Francisco

Fontes

UFAL – Universidade Federal de Alagoas

◊ Imagem em destaque – UFAL


×

Encontre a localização

Encontrar

Resultados:

Latitude:
Longitude:

Zoom:

Finalizar geocodificação

×

Envie um artigo

Você tem notícias para compartilhar da bacia do Rio são Francisco? Contribua para este mapa enviando sua história. Ajude a ampliar a compreensão do impacto global dessa importante região no mundo.

Encontre localização no mapa

Encontre localização no mapa